Os milhões e milhões de reais

As foodtechs, plataformas de vendas online de alimentos, ganharam um grande reforço na pandemia e o IFood, empresa brasileira, sobreviveu e se projetou além da crise. É hoje a maior empresa do setor, abocanhando 83% do mercado. No CADE, cinco processos questionam procedimentos em nome da livre concorrência. Pelas normas do CADE, uma empresa que detenha mais de 20% de participação de mercado, já pode ser considerada uma potencial ameaça ao livre comércio. O IFood faz em média 60 milhões de entregas mensais, atende a 270 mil restaurantes alocados em 1.200 cidades e não divulga seu faturamento. No entanto, segundo cálculos da Euromonitor, a empresa deve superar até o fim do ano a marca de 280 bilhões de reais. Aí está um segmento a ser acompanhado de perto pelos gurus da economia.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: