Sonegação espanhola

A convocação do presidente do Santander, Sérgio Rial, para depor em uma CPI que investiga crimes de sonegação fiscal comprova que o banco espanhol sempre fez tudo o que pode para não pagar tributos no Brasil. Enrolado na Operação Zelotes, que motivou a mudança repentina de seu presidente no Brasil, o Santander terá que explicar publicamente pela primeira vez os crimes fiscais multi bilionários cometidos por décadas por sua empresa de arrendamento mercantil. Se pagasse o que deve, o Santander ajudaria muito no ajuste fiscal da União Federal, dos estados e municípios.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: