Ações criminosas

O Ministério Público Federal detectou ações criminosas por parte da Codeba, da prefeitura de Salvador e do próprio operador do porto. Tanto assim que a Justiça Estadual já determinou a paralisação da obra em ato do desembargador Antonio Cunha Cavalcante. Quanto ao MPF, já iniciou um processo para punir os culpados. O episódio chegou ao conhecimento de Brasília no último fim de semana, já que não é a primeira vez que a Codeba se envolve em escândalo.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: