STF: um legislador sem votos

Em recente seminário “Globalismo” da FUNAG-Ministério Relações Exteriores destacou-se a carioca e juíza do TJ-MG, Dra. Ludmila Lins Grilo. Ela tratou de forma didática e convincente tema jurídico complexo ao apontar o crescente ativismo judicial do STF extrapolando seu papel na Constituição e avançando como ativista legislador, responsabilidade exclusiva do Congresso Nacional. Seria prudente por parte da alta corte e lideranças do Congresso uma resposta para a jovem juíza, à altura de seus argumentos.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: