Crise administrativa e crise militar

Ontem, Bolsonaro perdeu o 16º ministro, o das Relações Exteriores. Não deixa saudades e ainda vai ter que responder os seus desmandos na Justiça. O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, foi chamado ao Palácio e demitido por Bolsonaro. Logo em seguida reuniu os comandos militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, foi uma reunião secreta que nada vazou, mas é evidente que Jair Bolsonaro não tem as três Forças Armadas para fazer nenhuma tentativa golpista. Ontem, no Congresso Nacional, todos afirmavam que ele é um “psicopata”, que está perdido em meio a uma sucessão de erros, não tendo mais a classe empresarial, os banqueiros, a elite cultural do país e sobretudo a classe média, muito menos o povão. A crise ainda vai demorar muito. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: