O jogo duro contra a Sputnik V

O detalhamento da análise técnica feita pela ANVISA com relação às características da vacina russa Sputnik V, e enviado ao STF em cumprimento ao despacho do ministro Ricardo Lewandowski, é desolador para quem espera ansiosamente pela importação do imunizante pelo Brasil. O documento que elenca uma série de falhas relativas à eficácia, segurança e qualidade do produto, além de reclamar ausência de parte da documentação solicitada, conclui ser impossível liberar o uso da vacina entre nós. Ou seja, de nada vale para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária o imunizante já estar sendo aplicado emergencialmente em 60 países, bem como o índice positivo de 91,6% na eficácia do produto. Detalhe: A equipe da ANVISA visita à Rússia semana que vem, mas leva uma bagagem pesada de críticas sobre a vacina que os russos criaram.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: