Um round já foi. Mas a luta continua

Mesmo tendo um padrinho poderoso – o vice-presidente, general Hamilton Mourão – o delegado Alexandre Saraiva da PF perdeu a queda-de-braço contra o ministro Ricardo Sales. De nada adiantou garantir que os malfeitos dos barões da madeira do Norte do país não teriam boa vida, pois com ele “a boiada não iria passar”, aproveitando pra ironizar o mote do Ministro do Meio Ambiente e seu adversário. Aguarda-se, agora, os desdobramentos do afastamento do agente público, pois gozava de muito prestígio profissional na tropa da Polícia Federal. Em outro cenário – o internacional, sempre atento às questões ambientais – a opção do governo Bolsonaro em ficar do lado dos madeireiros, responsáveis por um lote fantástico de madeiras apreendidas pelo IBAMA com problemas de certificação legal, e exonerar o delegado Saraiva vai prejudicar muito as futuras tratativas do país com órgãos e grupos pró meio-ambiente das grandes potências mundiais.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: