Ação e reação

Bolsonaro tanto falou e fez nesses dois anos e meio de mandato, ligando pouco em abrir novos focos de atrito, que conseguiu juntar os cacos de diferentes prismas oposicionistas contra si e o seu governo negacionista frente ao combate à pandemia. Atualmente todos os segmentos produtivos do país estão em alerta máximo. Jair Messias Bolsonaro tornou-se um ímã para atrair e aglutinar forças contrárias. Inclusive, lideranças e personalidades que estavam a léguas de distância como Lula e José Sarney. Agora, os movimentos sociais acordaram, junto com centrais sindicais e grupos de oposição ao governo federal, marcando novas manifestações contra o presidente e a gestão federal, apesar dos riscos de aglomerações. Já no próximo sábado, 29, em 76 municípios, incluindo capitais e cidades de médio porte, começa a reação oposicionista ao governo Bolsonaro. A argumentação nas redes sociais é incisiva: “É preciso se manifestar para poder emparedar o governo no momento em que ele está fragilizado, então as condições políticas justificam ‘mudar um pouco a chave’ e retomar uma agenda de rua”.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: