Justiça não pode chegar atrasada II

Aliás, vale lembrar que o crime de responsabilidade do grupo Carrefour, meses atrás, teve um tratamento empresarial proativo e imediato, sem delongas judiciais, tentando a empresa – e conseguindo – reparar o grave problema junto à opinião pública gaúcha e nacional. Diversas ações internas foram deflagradas pelo Carrefour buscando otimizar os serviços com os colaboradores e os clientes. E, principalmente, não demorou muito para que o grupo empresarial entrasse em acordo financeiro com a família da vítima. Diferentemente, do caso baiano, cuja empresa Atakarejo, comandada pelo ex-feirante Teobaldo Costa, ainda não fez o menor esforço para minimizar a dor dos familiares da dupla que foi vítima fatal direta das ações de juízo e sentença por funcionários de uma das lojas do grupo alimentício, em parceria criminosa e escandalosa com traficantes do bairro de Amaralina, em Salvador, Bahia.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: