Aras continua subserviente

Enquanto o embaixador da China e vários parlamentares aplaudiram a prisão de Roberto Jefferson, o procurador-geral da República, o advogado baiano Augusto Aras, foi contra. O episódio é mais uma marca contra ele, já que sua recondução está condicionada a uma votação no Senado, onde hoje ele não tem maioria. O presidente do Senado já afirmou que não concorda com as modificações que a Câmara dos Deputados está provocando na reforma eleitoral, e Aras continua sendo uma autoridade contestada em todos os setores de Brasília. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: