Dom e Phillips

Os brutais e anunciados assassinatos do jornalista inglês, Dom Phillips, e do indigenista Bruno Pereira seguem para o esquecimento, apesar da luta das corajosas viúvas de Bruno, a antropóloga Beatriz Matos, e de Dom, Alessandra Sampaio. A Polícia Federal deve uma retratação pública à nação. No dia seguinte à confirmação de que Bruno e Dom tinham sido assassinados, a PF se antecipou e garantiu que era um crime sem mandantes. Quem conhece a área, os conflitos e o clima de vale tudo que se instalou na região nos últimos três anos e meio, estranhou a precipitação. Pois bem, agora temos um mandante, o peruano Rubens Villar Coelho. Muitas perguntas estão no ar. Qual foi a motivação da PF, numa fase preliminar de uma investigação que se apresentava complexa, para garantir, arriscando assim a sua credibilidade, que não havia mandantes. Os policiais federais são tidos como os mais bem treinados e bem formados da área da Segurança Pública, o que torna ainda mais surpreendente o acontecido.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: