Me delata que eu te delato!

A desembargadora Sandra Inês Rusciolelli, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), em prisão domiciliar com uso de tornozeleira, começou a sua delação. Para muitos entendidos no escandaloso caso de venda de sentenças no Judiciário baiano, e que já levou – e está mantendo – notáveis togados na prisão, ameaça ser “a delação do fim do mundo”. Isso porque estaria envolvendo mais de cinco dezenas de funcionários de escritórios de advocacia e da Corte baiana, incluindo onze juízes, numa poderosa tropa de malfeitores das leis do país. O fato curioso, e insólito, é que uma das investigadas pela Operação Faroeste, a desembargadora Ilona Márcia Reis, e também detida, prepara com carinho a sua delação ao mesmo tempo. Autêntico fogo contra fogo! O ministro Og Fernandes, que preside o Superior Tribunal de Justiça, terá muito trabalho pela frente.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: