Santa grama II

E a fome de grama sintética não para. Se na MPB tínhamos um “Carimbador Maluco”, na Educação da Bahia temos um “Coordenador Maluco”. Ele precisa ser identificado o quanto antes para não arranhar a imagem da ilibada gestão educacional do estado. Por isso que Nemamigoneminimigo chama a atenção do assunto, justamente para que gente direita não seja envolvida indevidamente em coisa errada. No segundo edital, referente à CP 05/2021, a grama sintética exigida corresponde a 0,8% de um montante licitado de R$ 16,5 milhões de reais. Em 3 de maio, data da apresentação das propostas, teremos os nomes das construtoras que são verdadeiras especialistas nessa gramática sintética.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: