Escola chinesa II

Isso prova que, em caminho contrário aos pensamentos do presidente Jair Bolsonaro, e alguns de seus seguidores de posições anti-chinesas, a nova geração brasileira identifica boas oportunidades em adquirir conhecimento e aprimoramento técnico com o país que mais cresce no cenário mundial. Em outros estados do Brasil, a exemplo da Bahia, que consagrou uma poderosa parceria entre o governo estadual e três poderosas empresas chinesas na construção de uma ponte ligando a capital à Ilha de Itaparica, com 12,4 km de extensão acima da Baía de Todos os Santos, materializar uma filial baiana da Escola Chinesa Internacional não vai demorar muito para ocorrer. Em tempo, a construção da ponte Salvador-Itaparica, que já está em pesquisa de campo e elaboração de projetos, irá gerar cerca de 7.000 empregos, e está orçada em R$7,7 bilhões, sendo R$6,2 bilhões de investimento chinês. Ou seja, dinheiro não vai faltar para a futura construção de uma filial da Escola Chinesa Internacional também no Nordeste.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: