Só faltou fazer arminha 

Não à toa, as expressões pátria, família, Deus, militares, Exército, dar a vida pela liberdade, nossa bandeira nunca será vermelha, vinhetas de marcha militar, foram usadas à exaustão na fala presidencial de mais de uma hora. Sempre que pedia a sua horda de adoradores para clamar essas expressões, Bolsonaro repetia as palavras de ordem que precederam o golpe militar de 64. Só faltou a metralhadora na conclamação do “exército de 210 milhões de pessoas”. Como sempre, Bolsonaro é mais tóxico para si do que seus opositores. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: